nivel-hidraulicoA indústria de sistemas hidráulicos e pneumáticos atende a diversos outros segmentos da economia brasileira e, por isso, seu desempenho está muito relacionado ao mercado de outros produtos. Em 2013, este setor apresentou estabilidade, pois, apesar de seu potencial, ainda são poucas as empresas que investem em tecnologia e inovação para ter um retorno a médio e longo prazo.

Para Bruno diNizo, diretor comercial da HPS Soluções Hidráulicas e Pneumáticas, o maior desafio enfrentado pelas empresas do setor foi a falta de incentivos do governo, aliado às altas cargas tributárias. “Para empresas como a nossa, que almejam um rápido crescimento, esses fatores acabam sendo grandes desafios. Além disso, a grande concorrência no setor acaba sendo outro desafio a ser superado. No entanto, temos como vantagem o fato da maioria das empresas que atuam no segmento de sistemas hidráulicos e pneumáticos, deixarem a desejar no quesito técnico e de qualidade dos produtos”, explica.

Ele também comenta que, para fazer a HPS crescer no mercado rapidamente, eles investem em equipamentos com alto valor agregado no que diz respeito às tecnologias e inovações. “Isso, a médio e longo prazo, gera um ganho de produtividade e redução de custos de manutenção muito expressivos para o cliente”, comenta.

Outro ponto abordado por diNizo foi a necessidade de ter uma equipe afinada e a entrada em novos mercados. “Posso dizer que a HPS superou os obstáculos enfrentados em 2013 graças ao trabalho e dedicação de nossa equipe para atingir as metas estipuladas internamente. Por outro lado, a exploração de novos mercados também foi fundamental para a superação dos desafios enfrentados ao longo de 2013”, disse.

A empresa projeta que, para 2014, o grande desafio será a abertura de novos segmentos de mercado e a ampliação da área de atuação da empresa para outros estados. “Vários de nossos segmentos apresentam boas perspectivas para o próximo ano, como os de mineração, devido a projeção do aumento nas exportações; o de petróleo, devido aos investimentos no pré-sal; alumínio devido a crescente demanda por componentes que o tenham como matéria-prima. Além disso, nosso crescimento estará ligado a abertura de novos mercado e novas regiões de atuação nacional, como os estados de Santa Catarina, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e a região Nordeste como um todo ”, explica diNizo, que ainda completa dizendo que a palavra de ordem em 2014 é agregar. “Pretendemos agregar novos conceitos e tecnologias, como novos softwares e informatização em nossos processos, além de melhorias nos produtos de acordo com as necessidades específicas do cliente, para oferecer a ele soluções completas”, finaliza.